Exercícios benéficos contra asma e outras doenças pulmonares

19/07/2016

Diário da Saúde

Aeróbica contra asma

Exercícios físicos aeróbicos diminuem a intensidade da inflamação na asma e a progressão da lesão dos pulmões na doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Estes resultados um tanto surpreendentes foram demonstrados por uma equipe da USP (Universidade de São Paulo) coordenada pelo Dr. Milton de Arruda Martins.

A informação é de grande relevância para os portadores das referidas enfermidades, bem como para o sistema de saúde em geral.
"Reunimos um grande número de pesquisadores, o que possibilitou realizar tanto pesquisas de laboratório com modelos animais, quanto pesquisas clínicas com humanos. Foi, como costuma ser dito, um estudo da bancada até a beira do leito," disse Milton.

Benefícios sistêmicos
"Comparando os dois grupos, verificamos que aquele que fez atividade aeróbica apresentou melhor qualidade de vida, com menos crises, e melhoria efetiva da inflamação pulmonar. Para avaliar a inflamação, utilizamos duas estratégias não invasivas: a medição da concentração de óxido nítrico no ar exalado e a medição da quantidade de eosinófilos no escarro induzido. Os dois marcadores diminuíram nos portadores de asma que passaram por treino aeróbico. E não diminuíram nos que só fizeram exercícios de alongamento", descreveu o pesquisador.

Segundo ele, foi a primeira vez que se demonstrou que a atividade aeróbica não tem apenas a função de melhorar a qualidade de vida - o que já seria importante -, mas exerce também efeito de tratamento, fazendo diminuir a inflamação associada à asma.

Ao investigar as causas do efeito protetor do exercício aeróbico em relação ao enfisema, a equipe descobriu que ele se deve ao aumento da capacidade de o organismo reagir aos fatores oxidantes.

Ou seja, o efeito é sistêmico, não se dando apenas no pulmão. E pode ser obtido por qualquer modalidade aeróbica praticada em nível moderado, como caminhada, corrida, natação, ciclismo etc.

"É claro que esse tipo de teste só pode ser feito no asmático compensado por medicamento, porque aquele que está descompensado tem crises de asma durante o exercício. E acaba desenvolvendo uma relação de amor e ódio com o exercício," recomendou Milton.

Diferença entre asma e DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica também envolve inflamação. Porém surge na vida adulta. E tem, como fator principal, o tabagismo ativo. Se o pulmão de um portador da condição for investigado, será constatado um misto de enfisema pulmonar (destruição dos alvéolos e formação de espaços aéreos maiores) e bronquite (inflamação dos brônquios). Esses dois componentes, ambos obstrutivos, provocam uma redução do fluxo aéreo.

Há, contudo, uma importante diferença na evolução das duas doenças. Na asma, a pessoa piora e melhora rapidamente. Na doença pulmonar obstrutiva crônica, a função pulmonar declina de modo progressivo e irreversível. Pode haver, também, uma sobreposição das duas doenças. Às vezes, o indivíduo é asmático na infância, melhora na adolescência, passa a fumar e desenvolve doença pulmonar obstrutiva crônica.

Diário da Saúde – 19/07/2016

Unidades: Centro | Madureira | Niterói | Tijuca. Consultas com hora marcada.
Central de Marcação de Consultas: (21) 3515-0808