Rio bate meta de vacinação contra a gripe

24/06/2015

O Globo

O estado do Rio de Janeiro ultrapassou a meta estipulada pelo Ministério da Saúde de vacinação contra a gripe e imunizou 80,94% do público-alvo. A marca de 80% foi ultrapassada na última terça-feira (23/06), 11 dias após o fim da prorrogação da campanha nacional. Dentro do grupo prioritário, gestantes e crianças (de 6 meses a 5 anos), foram os que menos se vacinaram, respectivamente com 69,2% e 71,71% de cobertura vacinal.

O grupo prioritário inclui ainda mulheres com até 45 dias do parto, idosos, população carcerária, doentes crônicos e profissionais de saúde e do sistema prisional. Ao todo, 1.500 postos de saúde nos 92 municípios em todo estado do Rio atuaram para garantir a imunização.

A vacina é capaz de imunizar contra os três subtipos de vírus da gripe que mais circularam no último inverno: A/H1N1 (gripe suína); A/H3N2 e influenza B.

— Orientamos os municípios que ainda tenham vacina a continuar a disponibilizá-la, mesmo que não seja mais obrigatório com o fim da campanha. Isso representa uma última chance para a população, pois esta vacina não faz parte do calendário permanente — explicou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

Para o secretário de Estado de Saúde, Felipe Peixoto, a vacina é forma mais eficaz de prevenir a gripe, doença que pode ter sérias complicações.

— É importante que as pessoas continuem procurando os postos de saúde. A gripe parece uma doença branda, mas pode evoluir de forma grave e levar até a óbito. Nosso trabalho de conscientização não terminou com a campanha do Ministério da Saúde – destacou Peixoto.

CONTRAINDICAÇÃO
As únicas contraindicações são a alergia aos componentes da vacina, principalmente à proteína do ovo (quem come ovo frito, pão, bolo ou macarrão não têm essa alergia), e os portadores de doenças neurológicas em atividade.

Quem estiver com gripe ou apresentado estado febril ou sintomas de dengue, o recomendado é esperar melhorar, para depois se vacinar.

O imunizante deve ser tomado todos os anos. A escolha pelo período do outono para a aplicação é estratégica, pois a vacina precisa de duas semanas para induzir alguma proteção e de quatro a seis semanas para que a máxima proteção seja alcançada.

Como o inverno é período de maior circulação do vírus, tomando a vacina no outono garante-se máxima proteção no período de maior circulação do vírus.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacinação é a forma mais eficaz para prevenir a gripe e suas complicações. Provocada pelo vírus Influenza, a gripe ataca todos os anos entre 10 e 20% da população do planeta – algo em torno de 600 milhões de pessoas.

Se não for tratada, pode gerar complicações que provocam entre 250 mil e 500 mil mortes por ano e milhões de internações. As complicações mais comuns são pneumonia, infecção no ouvido (otite) e inflamação nos brônquios (bronquite).

Unidades: Centro | Madureira | Niterói | Tijuca. Consultas com hora marcada.
Central de Marcação de Consultas: (21) 3515-0808