Saiba identificar sinais de reações alérgicas

16/10/2016

Extra

Quem sofre de rinite alérgica sabe o que uma alteração brusca de temperatura ou um ambiente empoeirado podem causar. Espirros, muitos e muitos espirros. Assim como ela, outras formas de alergia, algumas até mais graves, atingem cerca de 30% da população brasileira, segundo Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai). Seja ela alimentar, respiratória ou de contato, o importante é identificar os sinais e ir atrás de um diagnóstico médico para evitar crises mais sérias.

— Deve-se sempre procurar um alergista, porque não é fácil descobrir uma alergia alimentar, por exemplo. O diagnóstico pode passar pela retirada do alimento e, depois, voltar com ele para identificar a suscetibilidade — comenta José Carlos Perini, presidente da Asbai, explicando que dificilmente se tem uma crise alérgica grave no primeiro contato com a substância alergênica.

Quando essas crises acontecem, principalmente em crianças, Carla Dall, coordenadora da emergência pediátrica do Hospital Barra D’Or, alerta que a automedicação deve ser evitada.

— Por conta de uma dermatite, podem surgir lesões avermelhadas na pele. O ideal é não aplicar pomadas no local porque pode alterar a característica da lesão e dificultar o diagnóstico. Tem que procurar um médico — diz a médica, que aconselha o uso da imunoterapia (vacina) para diminuir os efeitos de alergias respiratórias e de picada de mosquito.

Já com relação aos adultos, Perini afirma que as alergias respiratórias são mais comuns.

— A rinite chega a afetar 26% das pessoas, que têm seu dia a dia prejudicado pelos sintomas. Em regiões tropicais, o que mais pesa é a poeira doméstica — diz.

“Intolerância a lactose é problema digestivo”, diz o presidente da Ass. Brasileira de Alergia e Imunologia, José Carlos Perini. Confira a entrevista com o especialista:

Qual alergia alimentar é a mais comum em crianças?

Alergia à proteína do leite de vaca. Depois, a amendoim, soja, clara de ovo, trigo. A forma mais comum de ela se manifestar é o desconforto gástrico e refluxo na criança. É como se o corpo não conseguisse digerir aquilo. Os sintomas podem ser ainda na pele, como urticária e a dermatite atópica, que é uma doença de pele que a deixa seca, com lesões avermelhadas e coça muito.

Qual a diferença entre intolerância e alergia?

As pessoas confundem muito. A intolerância a lactose é um problema digestivo e não, de alergia. A criança pode ter dificuldade de se adaptar ao alimento, e ela aprende isso com contato lento e gradual. É muito importante um bom diagnóstico para não gerar uma aberração: famílias tendo que comprar leites caríssimos para crianças que não teriam necessidade.

O que fazer em um momento de crise alérgica?

Na hora, deve-se tomar um antialérgico (anti-histamínico), que ajuda a segurar o processo. Se a reação for anafilática, a pessoa tem que tomar medicamentos mais fortes. Para isso, deve se encaminhar ao pronto-socorro. Dificilmente a crise será grave na primeira vez que se entra em contato com a substância a que tem alergia.

Extra – 16/10/2016
Unidades: Centro | Madureira | Niterói | Tijuca. Consultas com hora marcada.
Central de Marcação de Consultas: (21) 3515-0808